Neste artigo, Ken Wilber explica os conceitos de Translação e Transformação em relação à Espiritualidade, abordando a superficialidade que permeia a maior parte do discurso e da exploração espiritual atual no Ocidente.


Uma Espiritualidade que Transforma
Por Ken Wilber | Tradução de Ari Raynsford

Hal Blacker, editor consultivo de What is Enlightenment? (O que é Iluminação?), descreveu o tema desta edição especial da revista do seguinte modo (embora repita afirmações feitas em outras partes da mesma, vale a pena apresentar a citação completa simplesmente pela sua eloquência, franqueza e indiscutível bom senso):

Tencionamos explorar uma questão sensível, mas que precisa ser tratada: a superficialidade que permeia a maior parte do discurso e da exploração espirituais atualmente no Ocidente e, em particular, nos Estados Unidos. Normalmente, ao traduzirem-se doutrinas místicas do Oriente (e de outros locais) para o idioma americano, sua profundidade é aplainada, sua exigência radical é diluída e seu potencial para transformação revolucionária é abrandado. Uma vez que as palavras dos ensinamentos são quase sempre as mesmas, isso se dá de maneira sutil. Através de uma aparente prestidigitação envolvendo, talvez, seu contexto e, consequentemente, seu significado, a mensagem das maiores doutrinas, muitas vezes, parece transmutar-se do crepitar do fogo da libertação para algo que mais se assemelha ao borbulhar calmante de um banho quente de banheira. Embora haja exceções, as implicações radicais dos grandes ensinamentos são, desse modo, frequentemente perdidas. Desejamos investigar essa diluição da espiritualidade no Ocidente e analisar suas causas e consequências.

Com base nessa declaração, gostaria de ressaltar seus pontos fundamentais e comentá-los da melhor maneira que puder, porque, considerados em conjunto, eles realçam o verdadeiro âmago da crise americana de espiritualidade…

Para ler a íntegra deste artigo clique aqui!

Compartilhar: